A Vivência da Fé Católica no dia de Corpus Christi

17 de Junho de 2019

 

Celebrado 60 dias após a Páscoa, o dia de Corpus Christi, expressão do latim para Corpo de Cristo, é uma tradição da Igreja Católica o qual possui um profundo significado para a fé cristã, pois, se trata de reverência, adoração e gratidão à Jesus Cristo, o Salvador do mundo que morreu crucificado para a remissão dos pecado da humanidade, concebendo a Graça aos seus filhos e filhas. Assim se recorda que seu corpo e sangue foram entregues em morte de cruz para o bem de toda a humanidade, onde pela fé, a morte já não mata e há a ressurreição para todos os que creem Naquele que foi enviado por seu Pai para ensinar a uma vivência de amor e de gratidão espontânea na vida.  

 

A tradição da Igreja é para que os leigos/as, sacerdotes, e toda a Igreja louvem alegremente o sacramento da Eucaristia, para os fiéis é na Sagrada Eucaristia que a presença de Cristo se faz mais forte, pois é Ele mesmo no meio das comunidades cristãs, Vivo e em constante presença no meio de seu povo.

 

A origem desse dia, Em 1209, na diocese de Liége, na Bélgica , quando uma religiosa da ordem Agostinha, chamada Juliana, começa a ter visões com a Eucaristia durante quase 30 anos, “Nas suas visões ela via um disco lunar com uma grande mancha negra no centro. Esta lacuna foi entendida como a ausência de uma festa que celebrasse festivamente o sacramento da Eucaristia. Nasce a festa de Corpus Christi quando as ideias de Juliana chegaram ao bispo, ele acabou por acatá-las, e em 1246, na sua diocese, celebra-se pela primeira vez uma festa do Corpo de Cristo. Seja coincidência ou providência, o bispo de Juliana vem a tornar-se o Papa Urbano IV, que estende a festa de Corpus Christi para toda Igreja, no ano de 1264. Mas a difusão desta festa litúrgica só será completa no pontificado de Clemente V, que reafirma sua significação no Concilio de Viena (1311-1313). Alguns anos depois, em 1317, o Papa João XXII confirma o costume de fazer uma procissão, pelas vias da cidade, com o Corpo Eucarístico de Jesus, costume testemunhado desde 1274 em algumas dioceses da Alemanha. O Concílio de Trento (1545-1563) vai insistir na exposição pública da Eucaristia, tornando obrigatória a procissão pelas ruas da cidade. Este gesto, além de manifestar publicamente a fé no Cristo Eucarístico, era uma forma de lutar contra a tese que negava a presença real de Cristo na hóstia consagrada”. (PRESS).

 

Atualmente gloriosos tapetes são desenhados nos caminhos em que irão contemplar a procissão, então vários fiéis se organizam um dia antes, para preparar as belezas dos tapetes com desenhos diversos que simbolizam a fé e o amor por Jesus Cristo.

No Brasil, o feriado passou a ser contemplado na Lei 7.320, de 11 de junho de 1985, pelo então presidente JOSÉ SARNEY. Vigorando com a seguinte redação:

"Art. 1º Serão comemorados por antecipação, nas segundas-feiras, os feriados que caírem nos demais dias da semana, com exceção dos que ocorrerem nos sábados e domingos e dos dias 1º de janeiro (Confraternização Universal), 7 de setembro (Independência), 25 de dezembro (Natal), Sexta-Feira Santa e Corpus Christi" (BRASILL, 1989). Assim, evidencia-se o respeito do feriado seguindo o calendário, para que os fiéis possam adorar ao sacramento em exatos 60 dias após a páscoa, buscando maior espiritualidade e sintonia, sendo sancionado por lei, ao qual cabe a toda a sociedade o respeito sincero ao direito previsto na CF de 1988 para a religiosidade católica.

 

Assim, dentre reflexões, tradições e vivência espontânea da fé, os fiéis, vão nutrindo sua vocação e celebrando o dom da Vida, dando passos contínuos rumo aos braços de Deus, confiantes, principalmente de que chegamos ao Pai por meio do Filho, pois Jesus disse, e está narrado em João 14, 6 e 7: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim. Se vocês me conhecem, conhecerão também o meu Pai. Desde agora vocês o conhecem e já o viram” – Assim, deve-se seguir na vida, dia após dia, tendo como reverência Jesus, e seus atos de amor e de misericórdia, procurando aprender e praticar os seus ensinamentos, que são bondosos e construidores de paz, harmonia e felicidade na terra, pois o seu ensinar é bom, e feliz os que o praticam para melhorar a si mesmos e ao mundo em que habitam.

 

A Cúria Diocesana de Ji-Paraná, deseja a todos os leigos/as, ministros/as, sacerdotes, religiosas, e todas as pessoas que se doam em suas comunidades sua vocação em prol da Igreja e da construção de um mundo melhor ao semear a Boa Nova, que no dia 20 de junho de 2019, dia de Corpus Christi seja de muita beleza e alegria nos corações e na alma de cada um/a.

 

 

Referências:

 

BRASIL. Lei n. 7.765 de 11 de maio de 1989. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7765.htm>. Acesso: 17 de junho de 2019.

 

PRESS, Gaudium. Corpus Christi: Sentido, Origem e história. Disponível em: <https://domtotal.com/noticia/1161963/2017/06/corpus-christi-sentido-origem-e-historia/> Acesso: 17 de junho 2019.

 

Fonte: Cúria Diocesana

Local: Ji-Paraná-RO

 

 

Netmidia - Soluções Digitais©2014 - Todos os direitos Reservados a Diocese de Ji-Paraná
Fone: (69) 3416-4203 / 3416-4204
Av. Marechal Rondon, 400 - Centro - Ji-Paraná / RO - CEP: 76900-036
E-mail: informatica@diocesedejiparana.org.br